Ginga com Tapioca, Receita Típica de Natal: Aprenda a Fazer

Preparamos um guia completo sobre a região para você deixar a sua viagem ainda mais completa. O download estará disponível no final. Boa leitura.

Anúncios

Ginga com tapioca é aquele típico petisco que não pode faltar nas praias do Rio Grande do Norte.

Anúncios

E se você quer aprender como reproduzir a receita aí na sua casa, então continue lendo o nosso artigo. Porque só o Viagem Club consegue levar os pratos mais renomados do país até você!

Considerado um dos petiscos mais famosos das praias Potiguares, a ginga com tapioca conquista uma grande parcela de fãs do Brasil inteiro.

O petisco é tão influente que já é considerado como um dos pratos mais memoráveis de toda a região Nordeste.

Além de seu sabor marcante e do seu ótimo valor energético, o tira-gosto também possui uma história tão cativante quanto sua imponência gastronômica.

Envolvendo muita tradição e consistência, o sucesso da ginga com tapioca se reflete por sua originalidade e qualidade.

Aliás, algo que entenderemos um pouco melhor com o avançar do texto.

Preparado para conhecer um pouco mais sobre esse prato incrível, que você pode encontrar em alguns pontos turísticos de Natal?

Então, boa leitura!

Uma combinação improvável, mas deliciosa

Certamente, muitas pessoas não estão tão familiarizadas com o prato, principalmente aquelas pessoas que não pertencem ao Estado.

Contudo, os ingredientes necessários para a produção da iguaria são mais conhecidos do que você pensa.

Começando com a “Ginga”, que não é nada mais do que um apelido local para os peixes da espécie Manjubinha, que medem cerca de 10 a 15 centímetros.

Geralmente, dá para servir a Manjubinha na brasa ou bem assada, mas aqui ela é feita bem fritinha.

Já a tapioca é bastante conhecida entre os brasileiros, principalmente por conta do seu alto valor energético.

Recomendamos essa delícia para aqueles que buscam por uma alimentação mais consistente, ou para aqueles que não abandonam uma boa academia.

Como preparar uma deliciosa ginga com tapioca na sua casa?

Ginga com tapioca
Fonte: Itaciana Lima (Flickr)

Apesar de parecer um tanto complicado, a ginga com tapioca é um tira-gosto bastante simples de se preparar.

Portanto, se você quer degustar esse petisco tão incrível e tão amado da região potiguar, então prepare-se para aprender como preparar essa deliciosa iguaria.

Foque no que Realmente Importa e Deixe Todo Resto Conosco…

Preparamos um guia completo, atualizado e 100% gratuito para você viajar com tranquilidade e não deixar passar nenhum detalhe. mockup natal
O que você encontrará no nosso Guia Completo de Viagem – NATAL/RN:

✅ A época ideal para realizar sua viagem
✅ Os melhores meios de locomoção
✅ Os principais eventos
✅ Passeios imperdíveis
✅ Atrações indispensáveis
✅ Seleção especial com os principais restaurante

Nós já fizemos todo trabalho por você…

Faça o download gratuito do material e planeje a sua viagem com muito mais facilidade e segurança

Vamos lá?

Ingredientes

Massa

  • Farinha de tapioca;
  • Água para dar ponto;
  • Coco;
  • Sal a gosto.

Recheio

  • Peixe Manjubinha;
  • Azeite de dendê;
  • Sal e pimenta a gosto.

Modo de preparo

  1. Primeiro, certifique-se de limpar bem o peixe Manjubinha. Após a limpeza, tempere-o com alho e sal e, em seguida, empane o peixe com farinha de mandioca e frite-o no azeite de dendê;
  2. Partindo para a mandioca, cozinhe-a em uma panela. Espalhe-a por todo o diâmetro da panela, cozinhando bem ambos os lados. Em seguida, acrescente coco por cima;
  3. Após o cozimento da mandioca, acrescente os peixinhos no centro da massa e a dobre.

Ginga com tapioca: mais que um aperitivo, uma tradição

Ginga com tapioca
Fonte: Ana Claudia Sousa Lima (Flickr)

Toda a beleza e significância da ginga com tapioca também se reflete em sua história e tradição.

Seguindo os passos da mãe, que foi pioneira na produção da ginga com tapioca, a dona Ivanize Januário, de 58 anos de idade, continua dando segmento à produção do petisco, iniciado pela dona Dália, nos anos 50 e 60.

Com o passar dos anos, o petisco foi se tornando extremamente popular entre os residentes de Natal, sagrando-se como um dos petiscos mais famosos e pedidos na região.

Contudo, em 1990, o falecimento de dona Dália levantou uma questão muito importante: “seria este o fim da ginga com tapioca?”.

É claro que nós já sabemos a resposta. Graças à dona Ivanize, hoje nós temos a oportunidade de degustar – e produzir – esse prato tão especial.

A ginga com tapioca também teve sua importância reconhecida pelo estado do Rio Grande do Norte, sendo considerada como Patrimônio Cultural Imaterial em 2016 pela capital e Patrimônio Cultural, pelo estado do RN em 2018.

Tira-gosto ideal para quem não abre mão da academia

Apesar de muito comum nas praias de Natal/RN, principalmente na Praia da Redinha, a ginga com tapioca também é extremamente recomendada para aquelas pessoas que amam malhar.

Seu alto valor energético é mais que o suficiente para garantir uma excelente refeição pré-treino.

Mas procure ir com calma, pois o valor energético de uma porção gira em torno das 600 calorias, tornando-se uma verdadeira bomba de proteínas e carboidratos.

Sendo assim, procure não exagerar nas porções. Estamos entendidos?

Conclusões finais

Ginga com tapioca
Fonte: luana cunha (Flickr)

Depois de descobrirmos toda essa história fascinante que gira em torno da ginga com tapioca, torna-se ainda mais prazeroso degustar essa iguaria potiguar.

O sabor marcante da culinária nordestina está muito bem representado neste humilde tira-gosto, tão bem quisto nas praias de Natal.

Também pudemos ver como é simples reproduzir o prato, não sendo necessário ter uma experiência prévia com a cozinha.

Sendo assim, aproveite essa nova receita para conhecer um pouco mais o gostinho das terras potiguares.

Você também pode gostar...

Guia completo, atualizado e 100% gratuito para

Rio Grande do Norte