Horto Florestal Campos do Jordão vale a pena? Como curtir o local?

O Parque Estadual de Campos do Jordão, que é conhecido na região simplesmente como Horto Florestal Campos do Jordão, teve sua criação no ano de 1941.

Assim, em abril de 2019, através de uma Concessão Pública, suas áreas que eram de utilização pública passaram à administração da empresa privada Urbanes Empreendimentos.

Estando no complexo de florestas e reservas da Serra da Mantiqueira, o Horto Florestal de Campos do Jordão é a fração de terra sob os cuidados do povo mineiro.

Assim, apesar da concessão à iniciativa privada, a Fundação Florestal segue responsável pela gestão de pesquisas, proteção e fiscalização das áreas do Parque Estadual.

A área compreendida pelo parque é remanescente da Mata Atlântica, e então se expande pela mata de Araucária e Podocarpus, somando os Campos de Altitude e a Mata Nebular.

Os visitantes podem curtir toda natureza e ainda desfrutar de um espaço rico em cultura, história e iniciativas de gastronomia. Certas atividades de ecoturismo também estão presentes para fazer deste período junto à natureza um lazer para todos.

É aí que a gente entra!

Nosso blog procurou organizar e listar as atrações e motivos para que você faça essa visita, tanto só quanto (bem) acompanhado, afinal, quem é que não gosta de um ambiente natural, quem é que não curte tirar um tempo para curtir ar puro, sombra e o barulho das árvores?

Então, venha realizar essa viagem ao que a terra tem de melhor!

Resgate Histórico Cultural

Horto Florestal
Fonte: Useradquem (Flickr)

Como dito acima, a revitalização da administração do Horto Florestal trouxe iniciativas que visam cuidar e divulgar esses esforços, o que inclui repaginar os trabalhos de resgate histórico e cultural.

O projeto Resgate Histórico Cultural do Horto Florestal foi organizado pela equipe de monitoria ambiental do PECJ, a partir do ano de 2017, tendo como objetivo reunir o acervo histórico, buscando depoimentos, fotos, vídeos, relatos, histórias, contos, documentos e o que mais viesse para somar e enriquecer o espólio.

Além disso, há um evento que contempla uma das ações do Calendário Ambiental, que foi desenvolvido pela Câmara Técnica de Educação Ambiental, e é realizado sempre no dia 28 de outubro, coincidente com o dia do funcionário público.

Nas três edições passadas foram feitas exposições, que contaram com a colaboração e participação de diversos atores e personalidades que contribuíram com a história do Parque.

Ademais, foi também idealizada e realizada a publicação do livro “Patrimônio Histórico Cultural do Horto Florestal” e entregue um documentário: “Raízes da Conservação”.

É assim que se criou uma forte instituição para cuidar dos interesses do parque pelo maior tempo possível, investindo no seu desenvolvimento e valor.

A Serra da Mantiqueira

Serra da Mantiqueira
Fonte: Francisco Aragão (Flickr)

A Serra da Mantiqueira é uma região de mata protegida e que cruza três Estados: Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Assim, na Serra encontram-se inúmeras cachoeiras, formações rochosas e locais de visitação, que juntos compõem três dos maiores picos do país, tendo paisagens decoradas por espécies de plantas e outros animais nativos da floresta Atlântica.

Campos de altitude no Horto Florestal Campos do Jordão

O Horto Florestal tem uma grande área, de aproximadamente 28.800 hectares. É recoberta de Mata Atlântica, predominantemente Araucária. É um dos 29 parques do Estado de São Paulo dedicados à observação da natureza.

O contato com a natureza, passando entre as árvores, percorrendo as várias complexas trilhas, lagos e pontes, é um passeio que deve marcar a visita à cidade.

Certamente, muito ainda deve ser feito em relação à infraestrutura, mesmo com tudo que já mudou. Sinalização de trilhas, melhor estruturação do centro de visitantes, sempre há alguma demanda a suprir.

Mas o que já está disponível vale a pena fazer uma visita, apreciando o gostoso clima serrano junto às araucárias e pinheiros.

Pode-se aproveitar com tranquilidade a área para piquenique, o playground, a loja de artesanato e o passeio de trem para crianças.

Para os mais aventureiros, cinco são as trilhas oferecidas pelo parque.

Sendo a Trilha Celestina aquela que alcança a maior altitude, de 1905 metros. Uma trilha de duração de cinco horas que deve ser agendada antecipadamente, pois só se faz com guia.

Dica: faça o planejamento da sua visita para começar ou terminar em algum dos restaurantes convidativos da Estrada do Horto: o Harry Pisek, Beto Perroy ou ainda o Elio Ristorante.

Posts Relacionados

Onde posso ficar?

Para você que já topou essa visitação e já está pensando no roteiro, aqui vão duas dicas.

Recanto das Araucárias

Pousada Recanto das Araucárias
Fonte: Pousada Recanto das Araucárias (TripAdvisor)

Um cenário de vida silvestre e recheada de pássaros nativos, a Pousada Recanto das Araucárias é um refúgio para os visitantes, com muita beleza, paz e contemplação. E fica a 4 km do centrinho do Capivari.

Assim, além da proximidade à natureza, há acesso a uma antiga trilha de tropeiro, que segue até o alto das serras de Campos.

Na diária inclui um café da manhã completo e colonial, com pães e bolos típicos, preparados e servidos em um salão com exposição histórica e exibindo o artesanato local.

Aqui você pode escutar a canção do tucano, jacu, tangará, gralha do campo, beija-flor… Até esquilos marcam presença e passeiam pelas flores e mata nativa, subindo as araucárias centenárias do jardim.

O trabalho arquitetônico com madeiras renováveis e o cuidado ecológico é outro destaque que faz desta morada uma ótima escolha para repousar.

Endereço: Avenida Irineu Gonçalves da Silva, 1870.

Cabanas nas Árvores

Cabana nas Árvores
Fonte: Cabana nas Árvores (TripAdvisor)

Outra opção tentadora é esta pousada de casas nas árvores em Campos do Jordão, muito bem integrada à fauna e flora da Serra da Mantiqueira.

Uma pousada para o pessoal mais jovem e a fim de adrenalina, contando com atividades como arvorismo, bike park, tirolesas, passeio a cavalo, paintball e restaurante.

Um ambiente cheio de verde, bucólico e repleto de energia. Tudo com muita cortesia e cuidado no preparo de tudo.

Lembrando: não é parque de diversões, é parque natural, o que torna a experiência um pouco mais calma e espiritual. Mas pode ficar à vontade!

Endereço: Avenida Pedro Paulo, 7997.

Que tal uma visita ao centrinho cultural?

Caso vá ficar tempo suficiente em Campos, sugerimos que conheça um pouco mais da área além do Horto Florestal. Certamente, um rolezinho pelo centro turístico da cidade pode reservar boas surpresas.

Vila Capivari, o centrinho turístico de Campos do Jordão, SP

Vali Capivari
Fonte: Uéslei (TripAdvisor)

A Vila Capivari é o principal centro turístico da localidade.

Ou seja, é na vila que você encontra de tudo, começando por aquela variedade gastronômica, com cozinha italiana, espanhola, argentina, francesa, regional, além de pizzaria, churrascaria, lojas de chocolate, atrações turísticas…

Experimente dar aquela caminhada de boa pela Vila Capivari. Certamente, é uma oportunidade de admirar a arquitetura requintada da cidade, e descobrir um pouco mais da história local.

O turista que visita Campos do Jordão normalmente se sente estando em um tour pela Europa, admirado com as árvores como araucárias e plátanos, e construções no estilo colonial Europeu.

Agora é hora de falar um pouco mais do parque em si, além de um parquinho extra que também vale a pena estudar a possibilidade de conferir, dependendo da formação da sua “equipe”.

Opção para os menores: Parque da Floresta Encantada

Parque da Floresta Encantada
Fonte: May Machado (Flickr)

O Parque da Floresta Encantada é um lugar para adultos e crianças brincarem juntos, num ambiente temático cheio de encanto.

Ou seja, é um espaço cercado por várias casinhas temáticas, todas baseadas nos famosos contos e histórias infantis, como: Casa dos Gnomos, Casa das Bruxas, Casa do Fantasma, Casa dos Coelhos, Casa da Branca de Neve, Casa do Papai Noel, Casa dos Anjos e Casa das Bonecas.

Chegando na Vila Capivari, após passar a Praça São Benedito, entre na primeira à direita, vá seguindo as placas que indicam: Tênis Clube e Ducha de Prata, ambos na na Av. Senador Roberto C. Simonsen.

Logo após a Ducha de Prata fique de olho, pois um pouco além você vai enxergar à esquerda da via a placa que é a indicação da entrada do parque.

E as trilhas?

Trilha dos Campos
Fonte: Bruno Silva (Flickr)

Agora vamos falar um pouquinho das trilhas disponíveis no Parque Estadual.

Trilha das Quatro Pontes

Essa trilha é curta e suave, com menos de 2km, ideal para trilheiros iniciantes e quem quer dar apenas uma passeada. O trajeto pode ser feito por até por crianças, acompanhadas de adultos, claro. Mato é mato!

Os atrativos charmosos desta trilha são as Quatro Pontes. São 4 pequenas pontes para passar ao longo do trajeto, sendo 2 delas suspensas, o que proporciona uma certa emoção, principalmente às crianças. Tudo bem seguro, vai tranquilo.

Nesse caminho tem também um belo bosque com araucárias e pinhos bravos.

Vale lembrar que em dias de chuva as madeiras das pontes podem estar escorregadias, além da trilha ficar embarrada e deslizar em certos pontos.

Trilha da Cachoeira

Também chamada trilha da cachoeira da Galharada, é um caminho plano no meio da floresta por 4,6 km, que segue até a cachoeira.

Assim, esse passeio proporciona conhecer os viveiros de truta e Salmão que são criados no horto.

Pode ser feita de bike também, sendo uma das trilhas mais procuradas devido á sua facilidade de trajeto. Pode ir numa boa.

Trilha do Rio Sapucaí

O rio Sapucaí vai correndo com esta trilha que o acompanha. Tem algumas subidinhas, uma pequena inclinação, mas nada muito difícil ou cansativo.

A trilha tem na sua chegada uma tirolesa de 450 metros de comprimento e 70 de altura!

Ou seja, vale a pena se puxar um pouquinho e fazer esta trilha.

Trilha dos Campos

Essa trilha curta de 3 km leva a um pico de 1700 metros, com uma vista ampla do parque, com o vale do Rio do Meio e um grande conjunto de Araucárias.

Apesar dos 3 km serem ida e volta, a subidinha é puxada, então vá preparado para puxar esse fôlego.

Trilha Celestina

A trilha Celestina é a maior do parque em extensão, com 8,5 km e levando cerca de 5 horas para ser completa.

A recomendação local é que se faça esta trilha com um guia, mas, se já tem o costume, pode confiar na sinalização.

É mais uma trilha exuberante onde dá para observar bem a variedade da flora, e também encontrar surpresas como eventualmente o rastro da suçuarana – conhecida também como onça-parda.

Mas não se assuste! A suçuarana é muito arisca e não vai se meter com gente.

Então, lembre-se de iniciar a trilha cedo e calcular o tempo de volta, para não ficar pelo mato à noite. Quanto à dificuldade da trilha, é considerada média.

Preparados para se aventurar no Horto Florestal Campos do Jordão?

Horto Florestal
Fonte: Useradquem (Flickr)

Bom, pessoal, com este guia, fica bem claro os atrativos do parque Horto Florestal do município de Campos do Jordão, um prato cheio para quem procura natureza e atrações que reúnem simplicidade com beleza.

Para mais informações sobre trilhas, campings, ou previsão do tempo, que pode ocasionar alguma suspensão de atividade, é bom dar uma consultada no site ou contato oficial.

Fica também aquela lembrança, principalmente para a criançada: cuidado ao alimentar as aves, com os bosques fechados e encostas íngremes.

Vamos lembrar que são locais extremamente amplos e públicos, que além de animais selvagens, pode haver pessoas desavisadas por lá.

Além disso, lembre-se também de levar um moletom, roupa de chuva, água, esses itens básicos de sobrevivência, que evitam perrengues desnecessários.

Mas, pode confiar na estrutura e hospitalidade de Campos de Jordão, que há muitos anos tem semeado o sucesso desse parque, com cuidado e amor pela causa.

Então, pode vir que a natureza aguarda e tem para todos! 

Perguntas e Respostas

Quanto custa para entrar no Horto Florestal Campos do Jordão?

Entrada: R$15 por pessoa, estudantes e idosos pagam meia. Crianças até 6 anos são isentas.

O que tem no Horto Florestal de Campos do Jordão?

Paz, tranquilidade, e muita flora natural e alguma fauna para apreciar. E as trilhas que são inesquecíveis.

Levar a família para visitar o Horto Florestal vale a pena?

Mas é claro que sim! Lembrem-se que integrar as crianças à natureza e aos parques é uma forma de dar consciência ecológica, além de ajudá-las a enfrentar pequenos medos e criar apreço pela conservação da saúde e tranquilidade que a vida urbana acaba abafando.