O Que Fazer em Curitiba? 26 Passeios e Atrações para Aproveitar!

Preparamos um guia completo sobre a região para você deixar a sua viagem ainda mais completa. O download estará disponível no final. Boa leitura.

Anúncios

Se você quer saber o que fazer em Curitiba, mas não tem ideia por onde começar, então você acabou de encontrar o seu guia completo de viagem!

Anúncios

Nós do Viagem Club selecionamos as melhores dicas sobre o que fazer na capital do Paraná, incluindo o Jardim Botânico de Curitiba, o Teatro Ópera de Arame, o Museu do Olho (Oscar Niemeyer) e o Largo da Ordem, sendo estes pontos turísticos para incluir em seu roteiro.

A região mistura o clima moderno da capital com as influências de cidade do interior, permeada pelas raízes europeias dos imigrantes.

Dessa forma, é impossível não se apaixonar pela bela paisagem, as soluções urbanas, a arquitetura atrativa, a qualidade de vida local e, claro, as opções gratuitas de alguns passeios.

E independente de você montar um roteiro de 3, 4, 5 ou 7 dias em Curitiba, nós preparamos um guia completo para você aproveitar todas as atrações desse pedacinho do Brasil.

Boa leitura!

O que fazer em Curitiba? Dicas incríveis para curtir ao máximo o turismo em Curitiba

Curitiba possui uma característica interessante: apesar de exalar modernidade, a cidade consegue manter o clima de interior e as influências de imigrantes europeus.

Basta ver o centro histórico de Curitiba e a quantidade de prédios antigos e conservados.

Aliás, a harmonia entre os dois se torna um atrativo a mais para os turistas de todo o Brasil.

Sendo assim, Curitiba é um destino que não pode ficar de fora da sua lista de cidades brasileiras para visitar nas férias ou no feriado prolongado.

Por isso, acompanhe todas as nossas dicas e saiba tudo o que você pode fazer em Curitiba! Veja o nosso resumo abaixo:

  1. Jardim Botânico de Curitiba;
  2. Teatro Ópera de Arame;
  3. Centro Histórico de Curitiba + Largo da Ordem;
  4. Bosque Alemão;
  5. Parque Barigui;
  6. Parque Tingui e o Memorial Ucraniano;
  7. Bosque do Papa João Paulo II;
  8. Bosque Zaninelli;
  9. Parque Tanguá;
  10. Museu Paranaense;
  11. Passeio Público de Curitiba e o Memorial Árabe;
  12. Museu do Holocausto;
  13. Museu Expedicionário e Praça do Avião;
  14. Catedral de Curitiba;
  15. Rua das Flores (Rua XV de Novembro);
  16. Mercado Municipal de Curitiba;
  17. Praça do Japão;
  18. Tour Curitiba Free Walking;
  19. Museu Oscar Niemeyer (Museu do Olho);
  20. Museu de Arte Contemporânea;
  21. Torre Panorâmica de Curitiba;
  22. Linha Turismo;
  23. Teatro Paiol;
  24. Gastronomia local;
  25. Passeio de trem até Morretes;
  26. Dica de passeio extra.

O que fazer de graça em Curitiba?

Primeiramente, vamos começar a nossa lista de coisas gratuitas para fazer em Curitiba. Quem não ama, não é?

Algumas dessas rotas fazem parte do tour da Linha Turismo. Veja só!

Jardim Botânico de Curitiba

Jardim Botânico de Curitiba
Fonte: Eduardo PA (Flickr)

Sempre que viajamos para qualquer cidade do Brasil, a nossa primeira pergunta é: qual o principal ponto turístico da cidade? Então, isso não seria diferente em Curitiba.

Embora seja palco de muitos pontos turísticos interessantes, podemos afirmar que o Jardim Botânico de Curitiba é o cartão postal de maior relevância da capital paranaense.

Graças à sua esplêndida cúpula de vidro que protege a estufa do jardim e torna o centro do parque decorativo, muitos turistas se sentem atraídos por esse projeto totalmente inspirado no Palácio de Cristal londrino.

Afinal, tem um bom pedaço da Europa nessa região, e o Jardim Botânico de Curitiba é uma prova disso.

Aproveite para relaxar bastante no passeio, fazer alguma atividade, tirar fotos e caminhar pelo Jardim das Sensações, uma das atrações criativas do Jardim Botânico.

Caso você não saiba o que fazer em Curitiba em 3 dias, lembre-se de incluir o Jardim Botânico em seu roteiro.

  • Endereço: Rua Eng°. Ostoja Roguski, nº 690, Jardim Botânico;
  • Horário de funcionamento: todos os dias, das 6hs às 18hs.

Que tal aproveitar para conhecer o Jardim Botânico de Salvador?

Teatro Ópera de Arame

Teatro Ópera de Arame
Fonte: FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA (Flickr)

Não é só o Jardim Botânico que tem uma cúpula de vidro: o Teatro Ópera de Arame também possui uma arquitetura similar.

Os espetáculos são variados e atraem um grande público que, além de conferir as peças na Ópera de Arame (localizado no Parque das Pedreiras), também acompanha o Espaço Cultural Paulo Leminski.

A visitação é gratuita, mas isso vai depender da agenda de eventos. Por isso, é melhor buscar informações diretamente com os responsáveis para não ter nenhuma surpresa.

De qualquer forma, tanto o Teatro Ópera de Arame quanto o Espaço Cultural Paulo Leminski são áreas de cultura e lazer em Curitiba.

  • Endereço: Rua João Gava, 920 – Abranches;
  • Horário de funcionamento: Terça a domingo, das 10hs às 18hs;
  • Preço: R$ 15 (gratuito apenas a visitação no dia em que não há eventos. Preços à parte no almoço Ópera Arte).

Centro Histórico + Praça Tiradentes + Paço da Liberdade + Largo da Ordem

Centro Histórico de Curitiba

Há muito o que fazer em Curitiba e a prova disso está no Centro Histórico.

É lá onde ficam os registros históricos da cidade, que nasceu como a Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais.

Fazer um passeio no centro é gratuito, mas dificilmente você vai entrar e sair sem comprar nada, não é?

Mas antes de citar o Largo da Ordem (local onde acontece uma feira), é importante comentar sobre a preservação dos casarios coloniais, as ruas de pedra e a origem por trás de cada construção.

Datados dos séculos 18 e 19, podemos citar a Casa Vermelha, o Espaço Cultural do SESC Paço da Liberdade, o Solar do Barão e também o Palácio Giuseppe Garibaldi.

Ainda durante o passeio, você poderá conhecer a primeira igreja de Curitiba: São Francisco de Chagas, além do Museu de Arte Sacra.

É no Centro Histórico que também está a Rua XV de Novembro (falaremos mais adiante) e a Praça Tiradentes, local que já foi chamado de Largo da Matriz e que possui o Marco Zero da Capital, o ponto exato da fundação da cidade, em 1693.

Em tempo, o Paço da Liberdade (um Centro Cultural do SESC, como já mencionamos) foi tombado como patrimônio histórico e artístico nacional.

Pensa que acabou?

Ainda tem o Largo da Ordem no Centro Histórico, onde acontece a feirinha aos domingos. Tudo bem que este tópico é para coisas de graça em Curitiba, mas o passeio é gratuito mesmo, apenas as comprinhas que são pagas.

O lugar é repleto de arte de rua, lojas de antiguidades e restaurantes, sendo bem difícil sair do Largo da Ordem sem experimentar os quitutes ou comprar uma peça rara.

  • Endereço: Rua José Bonifácio, nº 33, Centro;
  • Horários de funcionamento: diariamente.

Bosque Alemão

Bosque do Alemão
Fonte: Enilton Kirchhof (Flickr)

O Bosque Alemão é um dos pontos turísticos gratuitos que homenageia os imigrantes germânicos que deram origem à mistura de etnias em Curitiba.

O local conta com um espaço de 38.000 m² e foi inaugurado em 1996.

Quando fizer o passeio, não deixe de observar a natureza no alto do mirante, sobre a Torre dos Filósofos, visto que é bem fascinante.

Algumas construções históricas que remontam do tempo em que os povos alemães chegaram a Curitiba encantam os turistas.

É o caso da Casa Mila, a réplica da Igreja Presbiteriana neogótica chamada Oratória de Bach, a biblioteca Casa da Bruxa (com leitura de conto aos finais de semana, às 11h, 14h30 e 15h) e a incrível trilha que leva as crianças a simularem a história de João e Maria.

Definitivamente, o Bosque Alemão precisa constar na sua lista sobre o que fazer gratuitamente em Curitiba.

  • Endereço: Rua Francisco Shaffer, nº 250, esquina com Niccolo Paganini, S/N – Vista Alegre;
  • Horários de funcionamento: (Bosque) de terça a sexta, das 8h às 20h; (Casa da Bruxa) todos os dias, das 9h às 17h.

Parque Barigui, um dos melhores e gratuitos pontos turísticos de Curitiba

Parque Barigui
Fonte: Rodrigo Vasconcellos (Flickr)

Se você não sabe o que fazer para relaxar em Curitiba sem pagar nada, vá para o Parque Barigui, um dos parques mais frequentados da cidade.

Com 1,4 milhões de m², a área de nome indígena (Barigui significa “Rio do Fruto Espinhoso”) recebe muitos turistas que desejam relaxar e chegar perto das charmosas capivaras, praticamente mascotes adotadas pelo povo curitibano.

Sem contar que há outras espécies de animais, como gambás, jacarés, garças brancas, etc. Perfeito contato com a natureza local.

Além disso, como se trata de um parque de grande extensão, você pode andar de bicicleta, correr pelas pistas durante o entardecer, fazer ginástica, ou se divertir no Parque de Diversões ou na Estação Maria Fumaça.

Já para os amantes de carros antigos, o Parque Barigui também reserva um passeio interessante: o Museu do Automóvel.

Não resta dúvida de que você vai se deslumbrar com a vista da paisagem à beira do lago e com todas as atividades GRÁTIS de um dos melhores parques da cidade.

  • Endereço: BR 277, Rodovia do Café, Km 0 – Santo Inácio;
  • Horários de funcionamento: todos os dias.

Parque Tingui e o Memorial Ucraniano

Parque Tingui
Fonte: Eduardo PA (Flickr)

Às margens do Rio Barigui está o Parque Tingui, uma área verde de 380.000 m² e muitas atrações para curtir.

Um deles é o passeio pelo Memorial Ucraniano, um espaço dedicado a homenagear outro povo que ajudou a formar o Paraná.

As construções têm estilo bizantino, cercadas por pinheiros, com ares de contos de fadas que quase escondem a trágica história do povo ucraniano: o Holodomor, um dos maiores genocídios do mundo, que exterminou milhões de ucranianos na década de 30.

Sem dúvida, vale muito a pena conhecer o Memorial Ucraniano e ainda descansar em seus jardins.

  • Endereço: Rua Dr. Mbá de Ferrante, s/n, Parque Tingui.
  • Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 17h45.

Bosque do Papa

Bosque do Papa
Fonte: …your local connection (Flickr)

Há muito o que fazer em Curitiba, uma cidade cuja cultura foi construída com ajuda de imigrantes de vários países.

A Polônia, por exemplo, é outro país que ganha homenagem no Bosque do Papa, localizado no Centro Cívico de Curitiba.

Além disso, o bosque também homenageia o Papa João Paulo II, que visitou a capital paranaense em 1980.

Esse peso histórico presente em Curitiba é bastante atraente, sendo impossível não admirar as casas de madeira e os objetos da época de 1871, que fazem parte do Memorial da Imigração Polonesa.

É cultura e história em um só lugar. Vale a pena o passeio pelas trilhas do Bosque do Papa para conferir a rica fauna e flora e ainda curtir as festas da colônia polonesa.

  • Endereço: Rua Wellington de Oliveira Viana, nº 33 – Centro Cívico;
  • Horários de funcionamento: todos os dias, das 6h às 18h.

Bosque Zaninelli

Bosque Zaninelli
Fonte: Caio Mauriciovitch (Flickr)

O bom de visitar uma cidade histórica como em Curitiba é que tem sempre muito o que fazer por lá.

A exemplo disso, tem o Parque Zaninelli, uma área verde que já foi uma pedreira que explorava granito.

Hoje é um lindo bosque que abriga uma curiosa arquitetura da Unilivre – Universidade Livre do Meio Ambiente.

O espaço administrado por uma ONG é totalmente dedicado à educação sobre o meio ambiente e ecologia.

Mas, longe de ser um lugar apenas para acadêmicos, o Parque Zaninelli também recebe visitas gratuitas para conhecer o lago, passear pela passarela na mata e admirar a extensão local por meio de um mirante.

É, sem dúvidas, uma das melhores dicas de passeios para os apaixonados pelo verde.

  • Endereço: Rua Victor Benato, nº 300 – Pilarzinho;
  • Horários de funcionamento: todos os dias, das 8h às 18h.

Parque Tanguá

Parque Tanguá
Fonte: Jailson Rodrigo Pacheco (Flickr)

Além de Zaninelli, Curitiba também tem outro parque onde foi uma pedreira: Parque Tanguá.

Sua área verde compreende um espaço de 235.000 m², sendo um ponto de encontro para quem quiser assistir ao pôr do sol no Parque Tanguá.

Para isso, basta seguir por uma passarela suspensa e assistir ao entardecer no mirante estratégico.

O momento pede muitas fotos, ainda mais se você optar por descer até onde tem um espelho d’água.

Por ser uma área grande, o Parque Tanguá se divide em duas partes: de um lado tem um chafariz, os mirantes e o jardim francês Poty Lazzarotto; de outro tem uma cascata artificial, um lago e uma lanchonete.

Além disso, tem visita guiada pelo Laboratório Geológico do Parque Tanguá, mas para garantir a vaga, a inscrição deve ser feita por e-mail.

Em suma, o parque é perfeito para a família toda e temos certeza de que vai agradar quem gosta de um passeio vespertino.

  • Endereço: Rua Oswaldo Maciel, nº 97 – Pilarzinho;
  • Horários de funcionamento: todos os dias, das 6h às 22h.

Museu Paranaense

Museu Paranaense
Fonte: Studart1 (Flickr)

Uma ótima dica sobre o que fazer em Curitiba de forma gratuita é conferir os mais de 700 mil itens históricos do Museu Paranaense, que foi inaugurado em 1876.

O acervo conta a história de Curitiba e do Paraná, sendo um dos passeios mais edificantes para estudantes e apreciadores de peças antigas.

Isto porque são documentos e peças de origem indígena, com exposições nas áreas de história, antropologia, arquitetura, arqueologia e arte.

O Museu também promove oficinas, com cursos de xilogravura, por exemplo. As vagas são limitadas, então é melhor ficar de olho no site oficial para conhecer todos os cursos disponíveis.

O passeio é tão rico que fica difícil deixar de fora do seu roteiro de viagem.

  • Endereço: Rua Kellers, nº 289 – Alto São Francisco;
  • Horários de funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 17h30.

Passeio Público de Curitiba e o Memorial Árabe

Passeio Público de Curitiba
Fonte: Eduardo PA (Flickr)

Um parque pequeno, mas muito bom de passear. Assim é o Passeio Público de Curitiba, outra dica sobre o que fazer na cidade.

O parque foi construído no lugar de um pântano no século XIX, já foi o primeiro zoológico da cidade, e hoje é um ponto turístico verde que atrai muitos visitantes.

Em 2019, o local passou por uma repaginação, mas os ciprestes centenários e os jacarandás, além das inúmeras espécies de pássaros continuam lá, como sabiás, pica-paus, sanhaços, canários-da-terra e chupins.

Depois de rodar o Passeio Público, continue o seu roteiro pelo Memorial Árabe logo em frente. A construção tem formato cúbico e traz muitas referências da cultura árabe, além de uma biblioteca em seu interior.

  • Endereço: Rua Presidente Carlos Cavalcanti, S/N – Centro;
  • Horários de funcionamento: de terça a domingo, das 6h às 20h.

Museu do Holocausto

Museu do Holocausto
Fonte: Rodrigo Félix Leal (Flickr)

Para ajudar os visitantes a conhecerem a história e os horrores da Segunda Guerra Mundial, foi construído o Museu do Holocausto de Curitiba.

O local conta com um grande acervo de fotos e objetos de quem viveu os anos de guerra, mas boa parte da exposição tem acervo disponível online para consulta no final da visita.

Ainda que não esteja entre os pontos turísticos mais comuns, a visita vale muito a pena só pelo caráter histórico.

É mais conhecimento para a sua bagagem!

  • Endereço: Rua Cel. Agostinho, nº 248 – Bom Retiro;
  • Horários de funcionamento: segunda, terça e quarta, das 8h30 às 11h30 e 14h30 às 17h30; sexta, das 8h30 às 11h30; domingo, das 9h às 12h.

Museu Expedicionário e Praça do Avião

Museu Expedicionário
Fonte: Guilherme (Flickr)

Depois de visitar o Museu do Holocausto, dê uma passadinha no Museu Expedicionário, um dos mais completos museus sobre a Segunda Guerra Mundial.

O acervo é amplo, contemplando fotos, documentos, mapas, além de itens bélicos utilizados pelo Brasil durante o conflito.

Entre eles, por exemplo, munições e armas que a Força Expedicionária Brasileira (FEB), a Marinha de Guerra do Brasil e a Força Aérea Brasileira (FAB) utilizaram na guerra.

Além disso, logo em frente, há uma praça que recebeu o nome de Praça do Avião (oficialmente é Praça do Expedicionário).

Ali, as relíquias do conflito mundial incluem um tanque de guerra, um carro de combate e um avião P-47 Thunderbolt, do 1º Grupo de Caça na Itália.

  • Endereço: Rua Comendador Macedo, nº 655 – Alto da XV
  • Horários de funcionamento: de terça a sexta, das 10h às 17h; sábado e domingo, das 14h às 17h.

Catedral de Curitiba

Catedral de Curitiba
Fonte: Jackson Rapkiewicz (Flickr)

A Catedral de Curitiba também está na lista de passeios gratuitos pela cidade. Localizada na Praça Tiradentes, a Catedral de Barcelona foi inspirada na Catedral da Sé de Barcelona, na Espanha, construída em estilo neogótico em 1893.

Ao completar 100 anos desde a inauguração, a construção religiosa ganhou o nome de Catedral Basílica Menor, que recebe doações de púlpitos e móveis para o seu interior.

Mesmo se você não for religioso, esse turismo em Curitiba vale muito a pena, sobretudo se você decidir passar pelo Centro Histórico, Largo da Ordem e, claro, na Praça Tiradentes.

A propósito, se você não sabe onde ficar em Curitiba, prefira se hospedar próximo das atrações de interesse, principalmente onde é ponto de parada da Linha Turismo (falaremos dela adiante).

  • Endereço: Rua Barão do Serro Azul, nº 31;
  • Horários de funcionamento: segunda, das 11h às 19h; terça a domingo, das 7h às 19h.

Rua das Flores (Rua XV de Novembro)

Rua das Flores
Fonte: Fernando Urbano (Flickr)

Oficialmente conhecida como Rua XV de Novembro, a charmosa Rua das Flores é uma grande avenida florida, a primeira do Brasil para pedestres.

O passeio é gratuito e há muito o que fazer nessa rua de Curitiba, como compras em algumas lojas, almoço nos melhores restaurantes ou apenas tomar um café no inverno paranaense.

Sim, ainda que você não precise pagar nada para caminhar pela Rua das Flores, é preciso levar em conta tudo o que você pode gastar nessa avenida. Ou tente apenas fazer uma caminhada, se quiser economizar.

Esse é o tipo de passeio que você pode emendar com o Centro Histórico e aproveitar as festividades natalinas, caso a sua viagem esteja marcada para dezembro.

  • Endereço: Rua XV de Novembro;
  • Horários de funcionamento: todos os dias, 24 horas.

Mercado Municipal de Curitiba

Mercado Municipal de Curitiba
Fonte: Wagner Jorge Araujo Nogueira (Flickr)

Outra dica para quem não sabe o que fazer gratuitamente em Curitiba é passear pelo Mercado Municipal.

No local tem hortifruti, cafés, temperos, bebidas e outros quitutes regionais para quem gosta de apreciar a culinária de onde visita.

Com isso, já sabe que o passeio é grátis, mas você poderá cair na tentação de comprar alguma coisa no Mercado Municipal. Não dá para evitar, acredite!

Você pode comer ali mesmo ou comprar para viagem. Difícil vai ser saber o que e quantos produtos levar na bagagem.

  • Endereço: Av. Sete de Setembro, nº 1865;
  • Horários de funcionamento: de terça a sábado, das 8h às 18h. domingo, de 8h às 13h (restaurantes abertos até às 15h).

Praça do Japão

Praça do Japão
Fonte: The Cities (Flickr)

Quando você for para Curitiba, vai perceber como a cidade se dedica a homenagear seus imigrantes.

O próximo da nossa lista, por exemplo, são os imigrantes japoneses, que ganharam uma atração temática com a Praça do Japão.

Situada entre prédios altos, a Praça tem lagos artificiais ao estilo japonês, a Casa da Cultura e de Chá, um Portal Japonês e ainda 30 cerejeiras do Sol Nascente.

O local é bastante mimoso e é como se você se sentisse em uma parte desse país tão rico em cultura.

Ainda que não seja um dos pontos turísticos de Curitiba mais populares, a Praça do Japão é um excelente passeio, principalmente se você for um fã de cultura japonesa, como animes, jogos e filmes.

  • Endereço: Av. Sete de Setembro com a Av. República Argentina – Água Verde;
  • Horários de funcionamento: Praça (todos os dias); Casa da Cultura (de terça a domingo, das 9h às 18h); Biblioteca Hideo Handa (de segunda a sexta-feira, das 08h às 17h; sábados, das 09h às 13h (exceto feriados).

Tour Curitiba Free Walking

Se você quer conhecer a cidade em companhia de um guia de turismo em Curitiba, pode aproveitar os “free walking tours”, presentes em várias cidades do mundo.

Os guias são moradores da região e voluntários para contar histórias enquanto fazem o passeio a pé.

É possível conhecer a história e as principais atrações de Curitiba (incluindo a vida noturna), além de esquecer a fama de fechados dos curitibanos.

É sempre bom saber mais sobre uma cidade através dos próprios moradores, dessa forma, dá para saber o que fazer à noite em Curitiba.

  • Endereço: Praça Santos André, em frente a UFPR;
  • Horários de funcionamento: sábado, a partir das 11h (o passeio pode ser feito em outros dias, mas depende da disponibilidade dos voluntários).

O que fazer em Curitiba (quase) de graça?

A nossa próxima lista (mais curta) contempla passeios (quase) de graça por Curitiba. Vale a pena adicionar em seu roteiro de viagem.

MON – Museu Oscar Niemeyer (também conhecido como Museu do Olho)

Museu Oscar Niemeyer
Fonte: Admilson Santos (Flickr)

Aqui temos mais um museu de Curitiba dedicado às obras de arte. Conhecido como Museu do Olho (devido ao seu design na entrada que parece um olho mas, na verdade, é uma araucária, símbolo do Paraná), o Museu Oscar Niemeyer (MON) é um espaço que merece sua visita.

Considerado um dos maiores cartões postais da cidade, o museu tem diversas exposições de autores famosos, como Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Caribé, Helena Wong, Cândido Portinari, além do arquiteto que dá nome ao museu e que também assina o projeto do MON.

Inclusive, o passeio pelo corredor subterrâneo é digno de belas fotos, pois parece saído de filmes futurísticos.

O Museu Oscar Niemeyer está localizado no Centro Cívico e é considerado o maior museu de arte da América Latina, com mais de 7 mil obras de diversos autores, como já citado aqui.

  • Endereço: Rua Marechal Hermes, nº 999 – Centro Cívico;
  • Horários de funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 17h;
  • Preço: R$ 30 (inteira); R$ 15 (meia entrada).

MAC – Museu de Arte Contemporânea

Museu de Arte Contemporânea
Fonte: Tiê Passos (Flickr)

Mais uma de nossas dicas de passeios inclui um museu, dessa vez é o famoso MAC – Museu de Arte Contemporânea do Paraná.

O local possui mais de 1000 peças no acervo, entre elas, gravuras, pinturas, fotografias, e muitas outras obras artísticas assinadas por Burle Marx, Helena Wong, Alfredo Volpi, José Bechara, Tomie Ohtake, entre outros.

Devido a obras, o MAC está funcionando no Museu Oscar Niemeyer, nas salas 8 e 9. Para evitar filas, compre os ingressos online diretamente no site oficial do MON.

  • Endereço: Rua Marechal Hermes, nº 999;
  • Horários de funcionamento: de terça a sexta, das 10h às 18h;
  • Preço: R$ 20 (inteira); R$ 10 (meia entrada); gratuito apenas para menores de 12 anos, maiores de 60 anos, estudantes da rede pública pré-agendados, e demais casos. Veja todos aqui.

Torre Panorâmica de Curitiba

Torre Panorâmica de Curitiba
Fonte: Nicole Reckziegel (Flickr)

Localizada em uma torre de telefonia, a Torre Panorâmica de Curitiba é um dos pontos mais altos da cidade e você sabe muito bem o que fazer: observar a capital paranaense do alto de 100 metros de altura!

A visão da Torre panorâmica de 360° do mirante de Curitiba é um dos passeios que devem fazer parte do seu roteiro.

Você pode aproveitar para fotografar a bela paisagem verde da região, ainda mais se for um dia de sol.

  • Endereço: Rua Professor Lycio Grein de Castro Vellozo, nº 191;
  • Horários de funcionamento: de terça a quinta, das 10h às 18h;
  • Preço: R$ 6 (inteira); R$ 3 (meia entrada); isento para menores de 5 anos.

É pago, mas vale a pena conhecer em Curitiba

Linha Turismo

Linha Turismo
Fonte: yuridjinha (Flickr)

Linha Turismo é como é chamado o ônibus turístico que faz o passeio entre diversas atrações de Curitiba.

Se você montou um roteiro de 3 dias em Curitiba e está meio perdido com tantas coisas para fazer, a dica é pegar a Linha Turismo e ser feliz.

Isso porque o ônibus faz 24 paradas de embarques e desembarques, podendo ser pego em qualquer ponto em que você estiver (verifique antecipadamente qual a melhor opção para o seu caso).

Como a Linha Turismo faz um circuito em pontos turísticos longe do centro de Curitiba, o valor que você paga para viajar nele sai bem mais em conta do que o Uber e é muito mais rápido do que um transporte público.

A outra vantagem de usar a Linha Turismo é que o ingresso é válido por 24 horas, incluindo embarque e desembarque.

Isso significa que durante o dia todo você poderá fazer diversos passeios por lugares gratuitos que citamos neste post. Bom demais, não é?

  • Endereço: a Rua 24 Horas é o primeiro ponto de embarque da Linha Turismo, mas não é o único. Consulte todos aqui;
  • Horários de funcionamento: de terça a domingo, das 8h30 às 17h;
  • Preço: R$ 50 por pessoa, sendo que crianças abaixo de 5 anos não pagam.

Teatro Paiol

Teatro Paiol
Fonte: Anderson Fetter (Flickr)

Gosta de construções romanas? Pois em Curitiba os turistas podem conhecer o primeiro teatro de arena ao estilo romano da região: o Teatro do Paiol.

Inaugurado em 1971 no lugar de um depósito de pólvora, o Paiol certamente se tornou um marco na história e na cultura de Curitiba.

Para se ter uma ideia, nomes de peso da música brasileira marcaram presença no teatro, como Nana Caymmi, Zezé Motta e Elza Soares.

Por fim, a construção também foi um passo importante nas reformas urbanas e culturais implementadas na época, e hoje, o espaço continua a receber espetáculos, tendo capacidade para 217 pessoas.

  • Endereço: Rua Cel. Zacarias, nº 51 – Prado Velho;
  • Horários de funcionamento: de terça a sexta, das 14h às 18h30; sábado e domingo, das 15h às 18h30;
  • Preço: consulte diretamente no e-mail do Teatro Paiol aqui.

Experimente a gastronomia local

Essa é uma dica de ouro. Depois de fazer um belo turismo em Curitiba, incluindo turismo religioso e histórico, chegou a hora de fazer turismo gastronômico.

Sim! Esse é o momento mais saboroso da viagem e com certeza você vai encontrar o point que é a sua cara, porque opções não faltam.

Em vários pontos da cidade você vai se deparar com lugares para comer uma boa carne de onça ou um costelão (para quem é bom de garfo).

Bairros como Batel e Santa Felicidade (antiga colônia que abrigava imigrantes italianos) são paradas obrigatórias.

Por lá, você tem pubs mexicanos, bares ingleses, street food árabe, bares americanos, além de um restaurante japonês que serve até sushis gigantes.

Não é nada estranho experimentar sabores diversificados da culinária internacional, uma vez que a região sul do Brasil tem um pé fora do país por conta de seus imigrantes.

Aproveite e experimente um pouco de cada!

  • Endereço: vários pontos da cidade, em especial os bairros Batel e Santa Felicidade;
  • Horários de funcionamento: consultar nos sites dos respectivos bares e restaurantes.

Passeio de trem até Morretes

Passeio de trem até Morretes
Fonte: Marcos Pereira (Flickr)

Não saia de Curitiba sem fazer o passeio de trem até Morretes!

Essa é uma dica super especial para quem deseja viver novas experiências e pode incluir em seu orçamento de viagem.

O trem faz o trajeto pela Serra do Mar através da Ferrovia Curitiba/Paranaguá, passando por lindas paisagens de muito verde.

Quem gosta de uma viagem no tempo, vai amar o estilo retrô dos vagões.

São mais ou menos 4 horas de percurso, passando por montanhas, túneis, paredões e pontes estreitas que fazem o trem parecer que está flutuando no penhasco.

Além disso, você ainda pode escolher em qual classe prefere viajar: econômica ou luxo.

Mas pensa bem no seu objetivo antes de embarcar no trem, pois se você quiser viajar com a cara na janela para admirar o cenário que se revela durante o trajeto, melhor optar pela ala econômica. O trem de luxo transita apenas de janelas fechadas.

O destino é na cidade de Morretes, uma charmosa localidade com a sua própria culinária da região e que preserva a arquitetura desde sua fundação, em 1733.

  • Endereço: Av. Presidente Affonso Camargo, nº 330 (Rodoviária de Curitiba);
  • Horários de funcionamento: todos os dias na alta temporada, a partir das 8h15; na baixa temporada, na sexta, sábado e domingo, a partir das 8h15. Fique atento aos horários, porque podem mudar a qualquer momento;
  • Preço: R$ 270 (ida e volta) na ala econômica, e a partir de R$ 365 por pessoa no vagão de luxo.

O que fazer em Morretes?

Morretes
Fonte: Daniel das Neves (Flickr)

Aproveitando que você embarcou de Curitiba para Morretes, saiba que essa é uma cidadezinha tipicamente do interior. Não é à toa que os turistas amam ir para lá!

A cidade de Morretes preserva muito os casarões antigos e o clima gostoso de cidade pequena.

Você consegue ouvir o canto dos pássaros, sentir o verde da natureza e deixar para trás qualquer preocupação.

Aliás, é bom não deixar para trás o tempo também, pois a viagem de volta é a partir das 15h, se for de trem.

Caso você queira voltar de transporte público, compre a passagem mais cedo, mas não deixe para pegá-lo à noite. Afinal, Morretes é mesmo um lugar pacato: a cidade dorme a partir das 17h, acredita?

Então curta a região ao máximo que conseguir assim que chegar.

As pessoas gostam de sair de Curitiba para Morretes para tomar sorvetes e comer os quitutes típicos no centrinho histórico.

Entretanto, por outro lado, curtir as águas do Nhundiaquara, as trilhas do seu Santuário e a cidade histórica de Antonina também fazem parte do roteiro dos turistas que desembarcam em Morretes.

Caso você esteja com mais tempo (e dinheiro), pode fazer a rota histórica de Morretes, Antonina e PR-410 para chegar à Ilha do Mel.

Sem dúvida, é a melhor rota para o viajante apreciar a Serra do Mar.

Gostou das dicas de turismo em Curitiba?

Você viu que há muito o que fazer em Curitiba, não é? Parques, museus, praças, construções históricas e viagens inesquecíveis de trem.

O melhor de tudo é que dá para conferir muitos deles sem pagar nada, mas acredite que ainda faltou em nossa lista a Rua 24 Horas e o Teatro Guaíra: ambas fazem parte do trajeto da Linha Turismo.

Contudo, os 25 passeios por Curitiba + o extra pela cidade de Morretes podem ser suficientes para o seu próximo roteiro de viagem.

Acompanhe mais de perto o Viagem Club para conferir outras belezas turísticas no Brasil e no mundo!

Você também pode gostar...

Guia completo, atualizado e 100% gratuito para

Curitiba