Parque das Cachoeiras em Bonito Vale a Pena? Tudo o que você Precisa Saber!

Olá, gente bonita! Com o perdão do trocadilho, viemos trazer mais um artigo sobre esta cidade incrível, localizada no Mato Grosso do Sul e dotada de alguns “milagres” naturais. É em Bonito que, além de grutas, lagos e trilhas de cair o queixo, está o Parque das Cachoeiras!

Ali é uma fazenda onde acontece um passeio emocionante para você comparecer com toda a família, com 7 cachoeiras e muita paisagem natural para contemplar.

Além disso, há comida boa em restaurante de alta gastronomia, outra atração do parque.

Assim, para quem quer pegar mais leve nos esportes radicais como mergulho e rapel, ou está de passagem e tem somente um dia para apreciar a beleza de Bonito, por exemplo, esta é uma excelente opção.

Localização

Onde fica?

O Parque das Cachoeiras fica na Rodovia MS 178, Bonito / Bodoquena, km 11.

Lugares próximos

Posts Relacionados

Vamos começar o passeio pelo Parque das Cachoeiras em Bonito/MS?

Parque das Cachoeiras
Fonte: Ricardo Zaviasky (Flickr)

A distância do centro de Bonito até o parque é de cerca de 20 km, assim, procure sair cedo caso esteja hospedado num hotel da região central.

De qualquer jeito, a MS 178 não possui muito trânsito e é bem sinalizada e asfaltada para vir de carro. Mas, esta “preocupação” é só outra dica para não perder um só minuto do seu passeio!

De fato, A região do Parque das Cachoeiras é o “palco” da maior área de Mata Atlântica de nosso país. É tudo absolutamente preservado no Parque, bem estruturado para quem vier com a família, crianças ou mesmo em grandes grupos.

Bem-vindos ao parque!

A caminhada ecológica oferecida pelo parque vai trazer um sentimento de purificação e conexão com a natureza que faz muito bem para a saúde da mente.

Afinal, respirar um ar puro e ouvir o canto dos pássaros num local de paisagem tão vasta, fora do barulho das cidades e das invasões prediais, é ótimo para lembrar que existe mundo fora da cidade.

As cachoeiras do parque são formadas por turfas calcárias e a quantidade de pequenas cascatas pelas 7 cachoeiras do parque é impressionante, por isso, ao longo do caminho, você terá a oportunidade de se banhar em até 7 lugares diferentes!

Assim, são piscinas naturais convidativas, por isso, é recomendado vir com roupa de banho e tempo para curtir. Sem falar na flora e na fauna do local, com espécies raras e belas para fotos e lembranças.

Uma das cascatas, chamada “cachoeira da carretilha”, inclusive, possui uma carretilha para se atirar no rio. Mas vamos lá, então, falar tintin por tintin das cachoeiras e maravilhas que compõem esse rolê.

Cachoeira Mulungu

Cachoeira Mulungu
Fonte: Foto_Du (Flickr)

O Mulungu é o nome de uma planta típica do Cerrado e da Caatinga, que se espalha pela América do Sul.

Dessa forma, conhecida pelos povos antigos por ter propriedades calmantes e medicinais, suas flores vermelhas são usadas no chá para combater ansiedade, depressão e até reumatismo. E algumas pessoas usam para reduzir o vício de fumar.

A Cachoeira Mulungu é de porte pequeno, com piscinas naturais e aquelas hidromassagens feitas pela água estourando nas pedras. A profundidade vai de 1 a 2 metros. Além disso, há um deck de madeira e escada para todos descerem até a água esverdeada e cristalina do Rio Mimoso.

Cachoeira da Gruta

Cachoeira da Gruta
Fonte: Tatiana Carvalho (Flickr)

A Cachoeira da Gruta também conta com piscina natural, sendo esta de tamanho bom para as crianças, com profundidade de uns dois metros.

Tem o nome de Gruta pelas cavidades rochosas, onde aconteceu do rio ter sua mudança natural de fluxo. Sem pedras, possibilita nadar com tranquilidade, sendo a única restrição fazer escalada na cachoeira.

Cachoeira do Sol

Cachoeira do Sol
Fonte: Foto_Du (Flickr)

O bonito nome Cachoeira do Sol vem do fato de se situar em um ponto onde pega sol o dia inteirinho, sendo também uma das mais altas da trilha, ou seja, uma das mais próximas do sol.

Dessa forma, ela tem cerca de 4 metros de altura, com 7 metros de profundidade. Tem uma cordinha no deck que está ligada atrás da queda d’água.

No período de seca, a água fica ainda mais cristalina. A incidência dos raios de sol cria uma refração que vai refletir na cachoeira, proporcionando um visual lindo.

Cachoeira do Amor

Cachoeira do Amor
Fonte: Foto_Du (Flickr)

Conhecida pelo deck chique em forma de coração e onde os casais aproveitam para tirar lindas fotos, a Cachoeira do Amor já foi palco de muitos pedidos de compromisso. Boa ideia, né?

É a cachoeira que chega à maior altura, perfazendo uma queda de quase oito metros de altura, e dois metros de profundidade.

Assim, os visitantes da cachoeira ainda podem observar alguns peixes da região: Piraputangas, Dourados, Curimbatás, Piauçus e outros.

Cachoeira do Sinhozinho

Cachoeira do Sinhozinho
Fonte: trip2gether (Flickr)

A Cachoeira do Sinhozinho tem uma bela queda d’água, que faz em seu nome homenagem a uma figura muito conhecida pela região. A cachoeira é cercada pela vegetação comum da Serra da Bodoquena, a floresta com Cerrado.

O deck em formato de barco posicionado à frente da cachoeira pode manter você hipnotizado por lá, mas não esqueça que temos mais cachoeiras para visitar.

Cachoeira da Figueira

Cachoeira da Figueira
Fonte: Foto_Du (Flickr)

Repleta de árvores que atraem animaizinhos como macaquinhos e vários pássaros, a Cachoeira da Figueira tem esse nome por causa das centenas de figueiras ao seu redor. As árvores dão frutos que alimentam os macacos, peixes e passarinhos.

Essa cachoeira é a de profundidade mais rasa entre todas, a mais indicada para as crianças brincarem.

Pelas décadas de 1940 e 50, a cachoeira era uma parada para carros de bois que estavam de passagem pela região, no sentido Miranda e Corumbá. Tem um metro e meio de profundidade.

Cachoeira do Salto

Cachoeira do Salto
Fonte: Ben Oliveira (Flickr)

A Cachoeira do Salto tem um pouco mais de emoção e adrenalina, presenteando o visitante com um convite a saltar de uma plataforma direto na água, de uma altura de 7 metros.

Só pode fazer o salto em pé, de braços colados junto ao corpo, para uma profundidade de 5 metros.

E aí, topa? Não é obrigado, claro, pois quem preferir pode só entrar na água e ir nadando até a cachoeira. Algumas pedras dão pé, e ainda dá para fazer uma massagem relaxante logo abaixo da queda d’água.

Que tal? Coisas de Bonito…

Ufa… Que dia!

Amigos e amigas viajantes, esperamos que, com esse guia, vocês possam ter pelo menos um dia de tranquilidade e diversão no Parque das Cachoeiras, e sintam um pouco do encantamento de Bonito, Mato Grosso do Sul.

E não esqueça de dar uma conferida no farto restaurante com comida caseira típica da região.

O redário também está à disposição para uma soneca após o almoço ou a qualquer momento que quiser ficar totalmente em estado de relaxamento.

Logo abaixo, algumas perguntas e respostas feitas com frequência.

Perguntas e respostas

O que fazer no Parque das Cachoeiras?

É um parque grande e exuberante, feito para apreciação de cachoeiras, com ou sem banhos. É também um lugar para ir passar um dia tranquilo e comer bem junto à natureza, com muita segurança e estrutura para paz e descanso.

Qual o valor para entrar no Parque das Cachoeiras?

Em 2021, os valores da baixa temporada giravam na média de R$ 116,00 (adultos), R$ 93,00 (crianças de 06 a 11 anos), R$ 55,00 (almoço opcional adulto) e R$ 40,00 (almoço opcional crianças). Já na alta temporada, os preços eram de R$ 136,00, R$ 105,00, R$ 55,00 e R$ 40,00, respectivamente.