Roteiro de 2 dias em Bonito: As Principais Opções para sua Viagem!

Bonito, MS, é uma cidade encantada, comparável a outros dos melhores lugares do Brasil como São Tomé das Letras ou Alto Paraíso. Para dar conta de apreciar com calma as principais atrações da cidade, o ideal seria uma semana de estadia, porém, organizamos aqui um roteiro de 2 dias que vai te mostrar o melhor de Bonito.

Os passeios em Bonito são bem organizados e assistidos.

O preço cobrado em cada passeio é pertencente à tabela combinada, sendo quase tudo reservado e comprado através de agências. Assim, fica fácil planejar sua caminhada a partir do próprio local onde estiver se hospedando.

A infraestrutura também merece destaque: as atividades são asseguradas e dão suporte completo ao risco que envolvem, oferecendo os equipamentos e instruções adequadas para as coisas correrem da melhor forma e sem fazer da experiência uma operação rígida e séria demais.

É bom lembrar que as atrações não estão todas ligadas ao centro, portanto, alugar um carro é uma opção que vale a pena para ficar em Bonito, no Mato Grosso do Sul, caso não venha com o seu.

Agora vamos ao que interessa! Sua vez chegou, então, bora desbravar este santuário natural.

Roteiro de 2 dias em Bonito, Mato Grosso do Sul: primeiro dia

Manhã: Parque das Cachoeiras

Parque das Cachoeiras
Fonte: Ricardo Zaviasky (Flickr)

A distância do centro de Bonito até esta primeira dica é de aproximadamente 20 km, então procure sair cedo se estiver hospedado em um hotel da região central.

De qualquer modo, a MS 178 não possui trânsito e é bem asfaltada. Mas a dica é para que não perca um minuto do passeio!

Situado ao norte de Bonito, este local de nome bastante atrativo certamente não irá desapontar o visitante.

É um parque com uma flora harmoniosa e belas cachoeiras, que você poderá aproveitar após fazer uma caminhada ecológica revigorante para o espírito.

No caminho, encontre piscinas naturais, grutas, poções e até uma tirolesa. As pequenas cascatas do Rio Mimoso vão enfeitando o caminho, e em alguns pontos há estruturas tipo deck para salvar umas boas imagens.

Uma curiosidade: a região do parque abriga a maior área de Mata Atlântica do país. É tudo muito preservado no parque, super bem estruturado para vir com a família.

Tarde: Aquário Natural

Aquário Natural de Bonito
Fonte: José Luiz Gonzalez (Flickr)

Logo na descida do Parque das Cachoeiras e na volta para o centro da cidade, está localizada esta atração que vale muito a pena conferir: o Aquário Natural.

Trata-se de mais uma área para praticar uma boa flutuação, principalmente, mas ainda tem trilhas para fazer e visualizar alguns animais locais. Há uma área para almoçar e a piscina.

Após fazer o pequeno treinamento, é iniciada a flutuação sobre o Rio Baía Bonita, onde finalmente você poderá compreender o porquê do nome “Aquário Natural”.

No mergulho de flutuação é possível observar a nascente, dentro da água, além de muitos peixes. São várias espécies que se reproduzem ali e vivem em harmonia, num lugar que é um verdadeiro berço de vida marinha, e você estará junto a esse espetáculo.

A saída do passeio acontece num lugar lindo, de água muito cristalina. Ao longo do caminho de 900 metros de flutuação, não há autorização para ficar em pé, permitido ao mergulhador apenas boiar e ir seguindo o ritmo da correnteza, conforme as instruções.

Quem não quiser fazer o percurso inteiro pela água (pode ser cansativo para quem não estiver preparado) poderá acompanhar pelo barco de apoio que vai seguindo todo o passeio.

De qualquer modo, dentro ou fora d’água, é possível assistir a todo o espetáculo – e, acredite, é realmente como estar num aquário.

Se for comparado aos outros rios de praticar flutuação, o Aquário Natural é um destaque, por ser o ideal para os iniciantes e também pela vegetação abundante. O nível de água dentro do rio é baixo, a correnteza é tranquila e a transparência da água é espetacular.

Noite: hora de repor energias e curtir

Taboa Bar
Fonte: murilosian (Flickr)

Definitivamente, Bonito não é um lugar recomendado para vida noturna, pois esta não é a vibe da cidade. Mas como todo lugar frequentado, é claro, tem seus barzinhos e esquentas.

Nossa sugestão é o Taboa Bar, para que sua programação não perca nada de Bonito.

Com tradição na cidade, é considerado um bar bem frequentado pelos moradores e turistas que deixaram referências nos sites de viagem.

Além do visual bacana e charmoso, tem um ambiente que proporciona aos clientes bastante calmaria, pelo seu espaço e mesinhas bem convidativas e distribuídas.

As paredes rabiscadas com inúmeros nomes e registros de visitantes fazem parte da decoração. Pode se sentar e esperar pelo melhor da culinária regional, acompanhada por ótimos drinks e música ao vivo até o fechamento.

Certeza de uma boa noite!

Posts Relacionados

Roteiro de 2 dias em Bonito, Mato Grosso do Sul: segundo dia

Manhã: Gruta do Lago Azul, Gruta de São Miguel e Casa do João

Gruta do Lago Azul
Fonte: Alexandre Lobo (Flickr)

Para a manhã do segundo dia em Bonito, separamos um lugar que é cartão postal da cidade, a magnífica Gruta do Lago Azul.

Esta pequena caverna é tão procurada pelos curiosos porque abriga um laguinho interior de 90 metros, que apresenta um tom azulado hipnotizante.

Antes de querer mergulhar, é provável que você fique uns minutos paralisado só na admiração. Mas, por causa da preservação, nesta lagoa não é permitido fazer mergulho.

É um dos lugares que vale a pena curtir solicitando a visita guiada. Deste modo, além de poder se deslocar com segurança e ter a indicação para visitar os melhores lugares do caminho, terá uma noção da história local. Terá demonstrado inclusive fósseis de eras antigas da terra e itens pré-históricos.

As estalactites e estalagmites da caverna dão o clima de estar em um mundo completamente diferente, conhecendo os mistérios do subterrâneo da terra.

Tem mais: 300 degraus separam a lagoa do início do caminho.

Saindo da Gruta do Lago Azul, a sugestão é seguir para a Gruta de São Miguel, no caminho de volta ao centro da cidade. Esta gruta não possui lago interno, mas conta com formações geológicas que são um mosaico para estudantes e curiosos.

Após os passeios pelas grutas, vai bater a fome, então, chega a hora de curtir um almoço delicioso num dos restaurantes mais conceituados da cidade, a Casa do João .

Todos pela região vão recomendar esse lugar onde se encontra o famoso prato: “Traíra sem espinha”.

Tarde: flutuação no Rio Sucuri

Flutuação no Rio Sucuri
Fonte: mrkraposo (Flickr)

Depois que você passar uma manhã especial, está faltando aquele mergulho para “abençoar” de vez essa viagem.

Uma flutuação no rio Sucuri – também chamado “Barra do Sucuri” – é o que recomendamos, para matar o gostinho que ficou lá na atrás de mergulhar em águas cristalinas.

A flutuação da Barra do Sucuri começa com uma caminhada de leve até o deck, que está construído sobre o Rio Formoso.

Após um treinamento, o visitante sobe ao Rio Sucuri de bote. Nesse momento já é possível observar pela mata a aparição de alguns animais da fauna silvestre. Em seguida é iniciada a prática da flutuação, no sentido inverso do curso.

As águas são conhecidas por estarem entre as mais claras do mundo. Durante a flutuação, será possível contemplar variadas espécies de peixes e espécies subaquáticas. O percurso tem duração de 1.800 metros, uns 50 minutos, e só vai terminar ao chegar no Rio Formoso.

Caso opte por não fazer a flutuação, você pode voltar com o barco, descendo o rio de volta. Mas agora que já foi tão longe, não vale desanimar!

Com a flutuação, o corpo boia na água e é só deixar a correnteza fazer o trabalho de levar você.

Tenha em mente que é tudo assistido e assegurado por profissionais treinados, então, não precisa ter nenhum tipo de preocupação.

Alternativa para a tarde: Lagoa Misteriosa

Lagoa Misteriosa
Fonte: Fabio Capelini (Flickr)

Caso nossos amigos visitantes estejam “cabreiros” com a descida do Rio Sucuri ou prefiram um mergulho mais calminho, indicamos também passar na Lagoa Misteriosa.

Sim, é possível manter o nível de beleza natural encontrado no passeio da manhã. Assim como o nome evoca, se trata de uma lagoa com ar de mistério envolvente, devido ao espetáculo de luz e sombra, além de sua profundidade de 40 até metros.

É na Lagoa Misteriosa que você pode ter a experiência de mergulho da sua vida – desde o mergulho básico de flutuação que dura 2 horas ao mergulho mais demorado e completo com cilindro, o que é feito acompanhado.

O interior azul cristalino do lago vai se revelar para você, além da exuberância das espécies subaquáticas que parecem dançar na sua presença.

Como é um lugar muito procurado, tem uma estrutura bem planejada, como decks embaixo da água onde podem ser tiradas várias fotos.

Quem vê a lagoa de fora pensa ser pequena e rasa, porém, somente mergulhando você terá noção da profundeza e espaço submerso desta verdadeira obra-prima da natureza.

Não deixe tal lugar fora do seu roteiro em Bonito!

Noite final do roteiro de 2 dias em Bonito

Juanita
Fonte: Sven Vietmeier (Flickr)

Para fechar nosso roteiro de viagem, fica a dica de mais um restaurante, sendo para o segundo dia uma dica mais suave.

Para uma boa indicação de comida regional, o Juanita é uma boa pedida. Agora, se estiver a fim de carnes ou peixes de alto padrão, a Casa do João é um lugar bem pontuado nas notas dos viajantes e pessoas que passam por lá, situado perto do aquário natural de Bonito.

Se já estiver de boa com restaurante, pode aproveitar para conferir a Casa da Memória Raída, que fica aberta até as 22 horas.

É um museu de contação de história localizado no centro. Lá você pode conhecer um pouco da cultura local, das pessoas, e comprar algumas lembranças.

Está com a alma lavada?

Dois dias em uma cidade com o esplendor natural que Bonito oferece certamente é pouco, mas, organizando bem, pelo menos você terá a oportunidade de conhecer os lugares mais interessantes e belos.

Em nosso blog, temos também outros roteiros e dicas para outros tipos de estadia. O importante é não deixar de ir, afinal, a natureza sempre compensa nosso esforço.

Outros passeios interessantes:

  • Nascente Azul;
  • Estância Mimosa;
  • Serra da Bodoquena.

Perguntas e respostas

Qual o melhor período do ano para ir a Bonito?

Esta região do Mato Grosso do Sul é bem quente, ou seja, no verão, espere encontrar a cidade cheia, com filas para certas atrações. O inverno em Bonito tem suas vantagens: além do clima ainda possibilitar os banhos e mergulhos, as águas estarão ainda mais cristalinas. E certamente as hospedagens têm seu preço reduzido. Portanto, é uma rara cidade que vale a pena visitar em qualquer período do ano.

É necessário alugar um carro?

É aconselhável, principalmente se for de avião, pois desembarcando na cidade de Campo Grande, a viagem até Bonito ainda se estende por cerca de 300 km. Apesar do turismo ser bem estruturado na cidade e as agências proporcionarem transporte, é sempre mais confortável não ficar dependendo de terceiros e poder fazer os passeios nos horários que se enquadram melhor no seu roteiro, não é mesmo? É importante levar em conta onde fica localizada a sua hospedagem e lembrar que os passeios de Bonitos não são próximos.