Inverno em Bonito: Atrações e Passeios para Curtir Durante o Frio

A cidade de Bonito, no Mato Grosso do Sul, é bem conhecida no país como destino para o ecoturismo. Para o calor escaldante da região, as deliciosas cachoeiras locais são um prato cheio, mas ainda em outras estações é possível aproveitar as atrações da cidade. Mas, e o inverno em Bonito? Como aproveitar a cidade nesse clima mais frio?

Bonito é um destino completo e atraente para curtir novas experiências.

Portanto, ainda que a temperatura abaixe um pouco, a cidade não deixa de ser um encanto, como mostraremos a seguir. Sem problemas vir no período de férias escolares ou baixa temporada, pois em Bonito os passeios continuam incríveis e agradáveis.

Uma vantagem para quem visita a cidade no inverno é encontrar as águas ainda mais cristalinas. Nesse período há poucas chuvas, deixando os rios mais límpidos e melhorando a visibilidade debaixo d’água.

Afinal, a temperatura não baixa muito dos 24 graus habituais, então, não se assuste, pois seu banho estará disponível, sem muito frio.

O que fazer em Bonito (MS) durante o inverno?

Esta cidade é dotada de lugares fantásticos, com lagos naturais, grutas e encostas. Por isso, atrai diversos praticantes de esportes técnicos como trekking ou também cientistas interessados em investigar as entranhas da terra. Agora vamos saber mais desses lugares!

1. Lagoa Misteriosa, um dos motivos de ir a Bonito

Lagoa Misteriosa
Fonte: José Luiz Gonzalez (Flickr)

Esta lagoa é ideal para quem vem visitar Bonito no inverno, pois só se encontra aberta à visitação de maio a agosto.

Isso se dá porque nos outros períodos, quando as temperaturas se encontram mais altas, é quando acontece a proliferação das algas naturais do abismo, havendo um aumento da vegetação subaquática local, o que altera a visibilidade da água, que fica mais esverdeada e turva.

De fato, a Lagoa Misteriosa é um dos lugares mais procurados pelos viajantes. Possui grande profundidade, o que a faz encantadora para a prática de mergulho com cilindro.

A flutuação é outra atividade disponível em que se pode observar a vida aquática com snorkel.

Portanto, com profundidade de mais de 40 metros, águas azuis cristalinas e muitas algas e peixinhos, além de um deck que fica com grande parte submersa, é um local perfeito para tirar aquela foto e ter um momento de conexão espiritual com a natureza.

2. Gruta do Lago Azul

Gruta do Lago Azul
Fonte: Alexandre Lobo (Flickr)

Outro dos pontos turísticos que é garantido nas listas de melhores destinos na viagem para Bonito é a Gruta do Lago Azul. Um lago subterrâneo com dimensões incríveis faz desta gruta um lugar único, excepcional.

Após passar uma trilha tranquila de cerca de 300 m seguindo por uma escadaria com degraus íngremes, haverá um lago de águas de um azul intenso, sendo aqui a profundidade estimada de 90 m.

As águas que enchem o lago supostamente brotam de um rio subterrâneo, o que torna tudo mais misterioso e atraente. Dessa forma, o lago é apenas para apreciação, porque esta área de grutas acabou sendo transformada em Monumento Natural, mas você não vai deixar de ver ao vivo essa maravilha, né?

Além do lago, a formação geológica é outra atração fascinante da gruta. Teto e piso da gruta estão repletos de espeleotemas, formas minerais de tamanhos diferentes, como estalactites e estalagmites.

Local incrível para estudantes, curiosos e amantes da natureza e aventuras.

3. Buraco das Araras: bonito na alta temporada ou na baixa temporada em Bonito

Buraco das Araras
Fonte: Cristian Malevic (Flickr)

Pelo mês de dezembro ao início do mês de fevereiro, o sol do verão incide na Gruta do Lago Azul, ampliando a visão do lado. A estação da seca em Bonito, que acontece de maio a agosto, é quando os rios estão mais cristalinos e contando com mais peixes.

Buraco das Araras é um nome que se deve à maior dolina do sul da América. A dolina se trata de uma depressão circular no solo, no formato de funil.

O Buraco das Araras tem aproximadamente 100 metros de profundidade, mais 500 metros de circunferência. Além das araras, o visitante tem a possibilidade de visualizar mais de 150 espécies de aves.

Considerado também um santuário de araras-vermelhas, é casa para cerca de 50 casais de araras, que vivem totalmente soltas e livres. A caminhada é leve, tranquila e perfaz 900 metros.

Além disso, há dois postos de observação, perfeitos para tirar fotografias inesquecíveis e sentir este presente da natureza. Pode se entregar sem medo a essa aventura.

4. Rio da Prata: Flutuação

Flutuação no Rio da Prata
Fonte: Josue Limeira da Silva Junior (Flickr)

Mais um lugar maravilhoso para ser visitado, a 36 km de Jardim e 50 km de Bonito, o Passeio de Trilha e Flutuação realizado pelo Recanto Ecológico Rio da Prata inicia na recepção, com orientações e entrega dos equipamentos para a aventura.

Para começar, temos uma caminhada pela mata ciliar que margeia os Rios Olho d’Água e Prata. É uma trilha protegida, fazendo parte de uma Reserva Ambiental.

O percurso do rio propriamente dito tem 2200 metros e permite o avistamento de árvores centenárias, orquídeas e bromélias, assim como espécies diversificadas de aves e mamíferos.

A flutuação acontece nos Rios Olho d’Água em grupos de até 09 pessoas que vão acompanhadas por guia credenciado. A correnteza carrega os visitantes por um mundo subaquático, com dezenas de espécies de peixes e outros animais aquáticos além das plantinhas.

Haverá cardumes de piraputangas, piaus, dourados, curimbatás, matogrossinhos e tantos outros peixes do Pantanal. Mas, sem medo! Não haverá predadores.

Há uma opção extra: percorrer os últimos 600 metros do trecho em um barco movido a energia do sol (o “Chalana do Prata II”).

No retorno para a sede da fazenda, à espera, um delicioso almoço, com comida típica do sul matogrossense. Acompanham variedades de doces caseiros como o famoso Doce de Leite.

Para completar, depois dessa aventura, pode dar uma “esticada” no redário disponível na fazenda, curtindo o silêncio e a natureza que é sempre o centro das atenções em Bonito, MS.

5. Abismo Anhumas, um dos passeios mais incríveis para se fazer ao viajar para Bonito (MS)

Flutuação no Abismo Anhumas
Fonte: tyamada (Flickr)

Aqui a temperatura da água pode chegar a 18 graus, mas pelo restante das flutuações ela vai de 21 a 23 graus. Você pode ainda usar a roupa de neoprene que é fornecida, e ficar “no clima” para esta jornada embaixo d’água.

O Abismo Anhumas é mais uma caverna com um lindo lago no fundo, sendo apenas possível chegar à parte interna fazendo um rapel de aproximadamente 72 m.

A parte interna da caverna é bem aberta, mas seu acesso é feito passando por um buraco bem apertado, que está no alto. Este, inclusive, é a fonte de luz disponível para o abismo. Não está ficando cada vez mais fantástico?

No verão, ali por dezembro, um feixe de luz ilumina a água.

Rapel automatizado

A parte do rapel hoje em dia sossegada: está automatizada. É só sentar e uma máquina faz o serviço de descer você até lá.

A segunda e principal parte, claro, está na água, onde você conta com duas opções: fazer o mergulho de cilindro ou a flutuação.

As duas opções acontecem na escuridão total, apenas com a iluminação de lanternas fornecida pelos guias.

Neste lago, pela sua localização, não haverá os queridos peixinhos coloridos. Aqui a apreciação será das formações calcárias (chamadas também de cones) que são semelhantes às estalagmites que nascem no fundo do lago.

Por último, e não menos importante, a terceira parte do passeio acontece subindo num bote dentro do lago, para poder enxergar melhor as estalactites e estalagmites.

Enfim, não faz diferença se é verão, inverno, primavera ou outono: o Abismo Anhumas é lindo o ano todo.

6. Rio Sucuri: Flutuação

Flutuação no Rio Sucuri
Fonte: mrkraposo (Flickr)

Mais um passeio com flutuação que não pode deixar de ser incluso no guia.

O passeio é feito na nascente do rio e começa a 1.500 metros de distância da sede, indo ao ponto onde começa a trilha interpretativa do cenário.

Há um início de caminhada de 400 metros pela mata, onde se pode observar algumas das principais que levam ao deck principal, ponto de início da flutuação. São 1800 metros com avistamento dos peixinhos e vegetação submersa.

Pode-se também descer o rio pelo barco de apoio com o guia local, que estará designado para o acompanhamento em tempo integral. Ao término da flutuação, tem o encontro do Rio Sucuri com o Rio Formoso, e em seguida os visitantes voltam à sede da fazenda.

Uma curiosidade: o Rio Sucuri ganhou este nome não por ser morada de cobras sucuri, mas sim porque, se for visto de cima, tem o formato do animal.

O rio já figurou por várias vezes em listas como as de águas mais claras do planeta, o que dá muita magia a esta experiência.

Por ocasião da vegetação às margens do rio ser mais “aberta” à incidência solar, a transparência ganha potência hipnotizante.

7. Boca da Onça: Rapel + Trilhas e Cachoeiras

Rapel em Bonito
Fonte: beto felix (Flickr)

Como você já deve ter notado, o guia para o inverno em Bonito (MS) não dá a mínima para esse papo de “frio”. Um local tão lindo, com águas tão cristalinas, precisa ser conhecido como é. Mas, neste último passeio, vamos “radicalizar” ainda um pouco mais.

Localizado a 34 km do município de Bodoquena e a 55 km de Bonito, o conhecido Rapel Boca da Onça é uma aventura realizada a 3.500 m de distância, que vai da sede do receptivo da fazenda até o ponto da plataforma onde acontece a atividade.

A plataforma do rapel é dotada de uma estrutura metálica com 34 metros de comprimento, que vai avançando por 15 metros num precipício e então dá início à descida.

Monitores especializados garantem todo o aparato técnico aos visitantes para a descida, em negativo, dos 90 m de altura.

O visitante terá a emoção de fazer o maior rapel de plataforma do Brasil, com a vista incrível do cânion do Rio Salobra e conferindo os paredões de calcário que estão por ali há alguns milhões de anos.

Uma segunda plataforma de madeira vai estar logo abaixo, esperando os aventureiros, para uma trilha que tem paradas para se banhar na cachoeira.

Almoço delicioso!

Para o final do passeio, os visitantes voltam à sede da fazenda, onde um almoço em fogão a lenha é servido com cardápio variado de saladas, pratos quentes e doces típicos da região.

O atrativo, no geral, oferece: restaurante, sanitários adaptados para cadeirantes, loja de souvenires, vestiários, ducha natural, 2 piscinas com água corrente, um aconchegante redário e um quiosque de apoio durante a trilha.

O Cânion do Rio Salobra nasce nas escarpas da chamada Serra da Bodoquena e segue através de um vasto cânion escavado na rocha calcária.

É também um afluente do Rio Miranda, pertencente à bacia hidrográfica do Rio Paraguai. É um rio protegido por lei e mais um dos berçários dos peixes do Pantanal Matogrossense.

Posts Relacionados

Vamos encarar essas aventuras?

Todos os passeios e serviços listados aqui podem ser aproveitados no inverno, a menos que você tenha baixíssima tolerância a um clima mais friozinho. Portanto, inverno em Bonito ainda é sensacional!

Mas ainda que desista dos mergulhos, a paisagem de Bonito vai proporcionar belíssimas lembranças, então, não perca esses atrativos por nada. Aproveite muito sua viagem durante o inverno em Bonito!

Mala pronta e pé na estrada! Confira nosso e-book e organize sua viagem melhor.

Veja também: O lindo Balneário Nascente Azul (saiba aqui).

Perguntas e respostas

O que fazer em Bonito, MS, no inverno?

As trilhas são cheias de paisagens sensacionais, e as águas das nascentes dos rios em Bonito ficam por 22 u00b0C e 24 u00b0C, além de mais cristalinas. Mergulho e flutuação bombam nessa época, pois há mais tempo de agendamento e espaço.

Como é o inverno em Bonito?

Pouca chuva. Tempo que varia entre frio e fresco. No inverno que acontece a baixa temporada, tem menos turistas circulando e os valores são menores no geral. A temperatura no inverno varia entre 12 e 24 graus.

Qual a distância de Bonito para Campo Grande?

300 km separam estas localidades por via da BR 060.